top of page

Como criar um plano de estudos eficiente e personalizado



Você quer melhorar o seu desempenho em concursos públicos, Enem, vestibulares ou até mesmo acadêmico, mas não sabe por onde começar? Você se sente sobrecarregado com a quantidade de matérias e tarefas que tem que estudar? Você gostaria de ter um método de estudo que se adapte ao seu ritmo, estilo e objetivos de aprendizagem?


Se você respondeu sim a alguma dessas perguntas, então este artigo é para você! Neste artigo, eu vou te ensinar como criar um plano de estudos eficiente e personalizado, que vai te ajudar a organizar o seu tempo, priorizar as suas atividades e otimizar o seu aprendizado.

Mas antes de começarmos, você sabe o que é um plano de estudos? E por que ele é importante? Vamos ver a seguir.


O que é um plano de estudos?


Um plano de estudos é uma ferramenta que te ajuda a planejar e gerenciar o seu tempo de estudo, de acordo com as suas necessidades e metas. Um bom plano de estudos deve conter os seguintes elementos:


  • Os seus objetivos de aprendizagem: o que você quer aprender, para que serve e como vai avaliar o seu progresso.

  • O seu cronograma de estudo: quando, onde e por quanto tempo você vai estudar cada matéria ou tarefa.

  • As suas estratégias de estudo: como você vai estudar cada conteúdo, quais recursos e técnicas você vai usar e como vai revisar o que aprendeu.

  • A sua avaliação de estudo: como você vai verificar se atingiu os seus objetivos, quais são os seus pontos fortes e fracos e como você pode melhorar.

Por que criar um plano de estudos?


Criar um plano de estudos pode trazer vários benefícios para o seu desempenho acadêmico, em concursos, ENEM ou vestibulares tais como:

  • Aumentar a sua motivação e autoconfiança, ao definir metas claras e realistas para o seu aprendizado.

  • Reduzir o seu estresse e ansiedade, ao organizar o seu tempo e evitar a procrastinação e o acúmulo de tarefas.

  • Melhorar a sua concentração e memória, ao escolher um ambiente adequado e usar técnicas eficazes de estudo.

  • Aperfeiçoar a sua compreensão e retenção do conteúdo, ao revisar periodicamente o que estudou e aplicar o seu conhecimento na prática.


Antes de continuar a leitura desse texto mega importante para sua jornada rumo a apovação, permita-me falar de nosso e-book sobre APRENDIZAGEM ACELERADA, saiba mais em nossa loja aqui no site, ou pelo link: https://www.tfscursos.com/product-page/aprendizagem-acelerada-e-book


Como criar um plano de estudos eficiente e personalizado?


Para criar um plano de estudos eficiente e personalizado, você precisa seguir alguns passos simples, mas importantes. Vamos ver cada um deles a seguir.


Passo 1: Defina os seus objetivos de aprendizagem


O primeiro passo para criar um plano de estudos é definir os seus objetivos de aprendizagem. Você precisa saber o que você quer aprender, para que serve e como vai avaliar o seu progresso.


Para definir os seus objetivos de aprendizagem, você pode seguir estas dicas:

  • Seja específico: descreva exatamente o que você quer aprender, evitando termos vagos ou genéricos. Por exemplo, em vez de dizer “quero aprender inglês”, diga “quero aprender a conversar em inglês sobre assuntos do meu interesse”.

  • Seja mensurável: determine como você vai medir o seu nível de conhecimento ou habilidade, usando critérios objetivos ou subjetivos. Por exemplo, em vez de dizer “quero tirar uma boa nota na prova”, diga “quero acertar pelo menos 80% das questões da prova”.

  • Seja alcançável: escolha metas que estejam dentro da sua capacidade e disponibilidade, levando em conta os seus recursos e limitações. Por exemplo, em vez de dizer “quero aprender tudo sobre física quântica”, diga “quero aprender os conceitos básicos sobre física quântica”.

  • Seja relevante: selecione conteúdos que tenham algum significado ou utilidade para você, seja pessoal ou profissional. Por exemplo, em vez de dizer “quero aprender história da arte”, diga “quero aprender história da arte porque gosto de visitar museus e apreciar obras de arte”.

  • Seja temporal: estabeleça um prazo para alcançar os seus objetivos, considerando o tempo necessário e disponível para o seu estudo. Por exemplo, em vez de dizer “quero aprender a tocar violão”, diga “quero aprender a tocar violão em seis meses”.

Passo 2: Faça o seu cronograma de estudo


O segundo passo para criar um plano de estudos é fazer o seu cronograma de estudo. Você precisa decidir quando, onde e por quanto tempo você vai estudar cada matéria ou tarefa.


Para fazer o seu cronograma de estudo, você pode seguir estas dicas:

  • Seja realista: considere a sua rotina diária, os seus compromissos e as suas preferências pessoais, e reserve um tempo adequado para o seu estudo. Por exemplo, se você tem uma agenda cheia durante a semana, talvez seja melhor estudar nos fins de semana, ou se você é mais produtivo pela manhã, talvez seja melhor estudar logo cedo.

  • Seja flexível: adapte o seu cronograma de acordo com as suas necessidades e circunstâncias, e faça ajustes sempre que necessário. Por exemplo, se você tem uma prova importante na próxima semana, talvez seja melhor aumentar o tempo de estudo para aquela matéria, ou se você está doente ou cansado, talvez seja melhor diminuir o ritmo ou tirar um dia de folga.

  • Seja equilibrado: distribua o seu tempo de estudo entre as diferentes matérias e tarefas, e evite sobrecarregar ou negligenciar alguma delas. Por exemplo, se você tem que estudar quatro matérias diferentes, talvez seja melhor estudar uma hora de cada uma por dia, ou se você tem que fazer um trabalho escrito e uma apresentação oral, talvez seja melhor dividir o seu tempo entre a pesquisa e a preparação.

  • Seja organizado: registre o seu cronograma de estudo em algum lugar que seja fácil de acessar e visualizar, como um calendário, uma agenda ou um aplicativo. Por exemplo, você pode usar cores diferentes para marcar os dias e horários de estudo para cada matéria ou tarefa, ou usar lembretes para não esquecer dos seus compromissos.

Passo 3: Escolha as suas estratégias de estudo


O terceiro passo para criar um plano de estudos é escolher as suas estratégias de estudo. Você precisa saber como você vai estudar cada conteúdo, quais recursos e técnicas você vai usar e como vai revisar o que aprendeu.


Para escolher as suas estratégias de estudo, você pode seguir estas dicas:

  • Seja diversificado: use diferentes recursos e técnicas para estudar cada conteúdo, como livros, vídeos, podcasts, mapas mentais, resumos, flashcards, exercícios, etc. Por exemplo, se você quer estudar biologia, você pode ler um capítulo do livro, assistir a um vídeo sobre o assunto, fazer um mapa mental com os conceitos principais e resolver alguns exercícios.

  • Seja ativo: envolva-se ativamente no seu processo de aprendizagem, buscando compreender o conteúdo e não apenas memorizá-lo. Por exemplo, se você quer estudar matemática, você pode fazer perguntas sobre o que está aprendendo, resolver problemas práticos relacionados ao conteúdo e explicar o que aprendeu para alguém.

  • Seja metacognitivo: monitore e regule o seu próprio aprendizado, avaliando o seu desempenho e buscando formas de melhorá-lo. Por exemplo, se você quer estudar inglês, você pode testar o seu nível de proficiência com um simulado online, identificar os seus erros e dificuldades e procurar recursos adicionais para saná-los.

  • Seja repetitivo: revise periodicamente o que estudou, usando o princípio da curva do esquecimento, que indica que a memória se deteriora com o tempo se não for reforçada. Por exemplo, se você quer estudar história, você pode revisar o conteúdo no mesmo dia em que estudou (após 20 minutos), no dia seguinte (após 24 horas), na semana seguinte (após 7 dias) e no mês seguinte (após 30 dias).

Passo 4: Faça a sua avaliação de estudo


O quarto e último passo para criar um plano de estudos é fazer a sua avaliação de estudo. Você precisa verificar se atingiu os seus objetivos de aprendizagem, quais são os seus pontos fortes e fracos e como você pode melhorar.


Para fazer a sua avaliação de estudo, você pode seguir estas dicas:

  • Seja honesto: reconheça os seus acertos e erros, sem se desvalorizar ou se superestimar. Por exemplo, se você fez uma prova e tirou uma nota baixa, não diga que você é burro ou que a prova era impossível, mas sim que você precisa estudar mais ou mudar a sua forma de estudar.

  • Seja crítico: analise os seus resultados e feedbacks, buscando entender as causas e as consequências dos seus sucessos e fracassos. Por exemplo, se você fez uma apresentação e recebeu elogios, não diga que você é um gênio ou que a apresentação era fácil, mas sim que você se preparou bem ou que usou uma boa estratégia de comunicação.

  • Seja proativo: tome medidas para corrigir as suas deficiências e potencializar as suas qualidades, buscando recursos e oportunidades de aprendizagem. Por exemplo, se você tem dificuldade em escrever bem, não diga que você odeia escrever ou que isso não é importante, mas sim que você vai procurar um curso de redação ou um professor particular.

  • Seja persistente: mantenha o seu plano de estudos em andamento, revisando e atualizando os seus objetivos, cronograma, estratégias e avaliação. Por exemplo, se você alcançou o seu objetivo de aprender a tocar violão em seis meses, não diga que você já sabe tudo ou que não precisa mais estudar, mas sim que você vai definir novos objetivos ou buscar novos desafios.

Dicas extras para criar um plano de estudos eficiente e personalizado


Além dos passos que vimos neste artigo, aqui estão algumas dicas extras para criar um plano de estudos eficiente e personalizado:

  • Conheça o seu perfil de aprendizagem: descubra quais são as suas preferências, habilidades e dificuldades na hora de aprender, e use isso a seu favor. Por exemplo, se você é mais visual do que auditivo, prefira recursos que tenham imagens, gráficos ou diagramas do que recursos que tenham apenas áudio ou texto.

  • Varie o seu modo de estudo: alterne entre diferentes formas de estudar, como ler, escrever, ouvir, falar ou fazer. Isso vai te ajudar a manter o interesse e a atenção, além de estimular diferentes áreas do seu cérebro. Por exemplo, se você está estudando geografia, você pode ler um texto sobre um país, escrever um resumo sobre ele, ouvir uma música típica dele, falar sobre ele com alguém ou fazer um mapa dele.

  • Estude em grupo: aproveite os benefícios de estudar com outras pessoas, como trocar ideias, tirar dúvidas, compartilhar experiências e aumentar a motivação. Por exemplo, se você está estudando filosofia, você pode formar um grupo de estudo com os seus colegas de classe ou amigos, e discutir sobre os conceitos e as obras dos filósofos.

  • Cuide da sua saúde: lembre-se de que o seu bem-estar físico e mental influencia diretamente o seu desempenho acadêmico. Por isso, adote hábitos saudáveis como dormir bem, se alimentar bem, fazer exercícios físicos e relaxar. Por exemplo, se você está estudando para uma prova importante, não fique acordado até tarde ou pule refeições por causa do nervosismo.

Conclusão


Neste artigo, eu te ensinei como criar um plano de estudos eficiente e personalizado. Você viu o que é um plano de estudos, por que ele é importante e como criá-lo em quatro passos simples. Você também viu algumas dicas extras para melhorar o seu plano de estudos.


Agora é a sua vez de colocar em prática o que aprendeu. Siga os passos e as dicas que vimos neste artigo e crie o seu próprio plano de estudos. Depois me conte como foi a sua experiência e quais foram os seus resultados.


Se você gostou deste artigo, não se esqueça de deixar o seu comentário e compartilhar com os seus amigos. E se você quer receber mais artigos como este, assine o nosso blog e ative as notificações. Obrigado pela sua atenção e até a próxima!


Nossas redes:




26 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page